Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Os movimentos Black Blocs.

Em função da tragédia acontecido com o cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade, atingido pelo rojão supostamente acionado por um membro do Black Bloc, transcrevo na integra  matéria escrita por mim, em 31/7/213.  A matéria foi postado há mais de 6 meses, mas o seu conteúdo continua atual.  Vejam a matéria. 

Mais de 50 anos vivenciando a história do Brasil não é difícil sentir e analisar o momento político que vivemos hoje.  Regime civil, regime militar, suicídio do presidente da República, renúncia, impeachment, foram ápices de cada momento histórico.  

O Brasil vive um momento histórico grave, tão grave tantos quantos citei acima.  Existe um processo em marcha.  Existe movimentos sociais que são traduzidos em movimentos de ruas, pacíficas, como tantos que vimos no mês de junho.  Por outro lado, não podemos ignorar que existe um movimentos contrários aos movimentos pacíficos.  São os Black Blocs, movimentos importados de Londres e outros movimentos dos quais farei matéria em separado.

O momento histórico que vive o País, facilita a criação e manipulação de movimentos à margem dos movimentos sociais espontâneos e legítimos.  Os Black Blocs, se movimenta sob o manto da falsa ideologia do anarquismo.  Nada a ver com a história do anarquismo da história do mundo contemporâneo.  Anarquismo é a falsa bandeira que dá certa legitimidade aos movimentos cuja finalidade é apenas vandalismo.  Em Londres, o objetivo final era saques às lojas de luxo, que representavam o simbolo do consumismo.  Lá como cá, os Black Blocs eram e são formados pelos vândalos e marginais. 

Voltei ao tema, porque recebi muitas críticas sobre a matéria postada por mim e vi também muitos comentários favoráveis aos Black Blocs.  A situação se processa na ausência de representação legítima dos anseios da população.  Os Black Blocs estão aparecendo como salvadores da pátria.  É mais ou menos como eleger o comando do tráfico de drogas como representantes legítimos, na ausência do Estado, para suprir as demandas não atendidas por ele.  

Ontem, na matéria sobre o tema, eu disse que os Black Rio e Black São Paulo tem DNA do PT.  Na noite passada, assisti através de TV, pseudo manifestações, apenas 300 pessoas, na cidade de São Paulo, já declaradamente partidárias, contra o governo Geraldo Alckmin, convocado pelos Black São Paulo.  Eram cerca de 20 Black São Paulo e mais alguns gatos pingados desavisados.  Os que fazem parte dos movimentos Black Blocs usam roupas escuras e estão sempre encapuzados para não serem identificados.  

O Black Rio, o movimento é contra o governador Sérgio Cabral.  Como pode ver, os Black Blocs no Brasil sofreu mutações.  A ideologia (sic) pró-forma é contra capitalismo e consumismo, mas o objetivo é nitidamente político.  Através de depredações e saques querem desmoralizar os governos locais, cujo comando das polícias são destes.  Neste objetivo os Black Blocs contam com os simpatizantes dos grupos políticos contrários ao Geraldo Alckmin e Sérgio Cabral, respectivamente.  

A atuação do Black Rio e Black São Paulo mostra claramente o objetivo político.  No Rio de Janeiro para viabilizar a candidatura do Lindberg Faria e em São Paulo para viabilizar a candidatura do Aloizio Mercadante ou Marta Suplicy, coincidentemente todos do PT.  De repente, os atuais governadores do Rio e São Paulo que eram considerados imbatíveis se tornaram reféns do movimento Black Blocs.  

Outros movimentos Black Blocs vão aparecer em outros estados, funcionando como "braço do mal" manipulado pelo PT, para retomada do poder nos estados.  Uma espécie de golpe de estado branco.  Este é um daqueles "diabos" que a Dilma prometeu usar nas campanhas da sua reeleição para presidência da República.  

Cuidado com os Black Rio e Black São Paulo! Vocês poderão ser usados como como massa de manobra do PT, para se consolidar no poder.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


10 comentários:

  1. Texto mais que atual, existe uma nova VAR-Palmares brotando.

    ResponderExcluir
  2. Aqui no Rio Grande do Sul esses movimentos, especialmente o MPL (movimento passe livre) e o Bloco de Lutas, ambos ligados ao PSOL da Luciana Genro, filha do governador, tem o claro objetivo de desestabilizar o governo do prefeito de Porto Alegre. O povo esta sendo feito de refém por uma greve dos rodoviários, comandada por sindicatos ligados ao PSOL, ao PSTU e CUT (curral do PT) com apoio de estudantes comunas, um verdadeiro caos no trânsito.

    ResponderExcluir
  3. No início, não fui contra os Black Blocs porque, ao participar das manifestações de Junho, no Rio de Janeiro, minha cidade, eu não vi, n o início, nenhum integrante dos Black Blocs colocando em risco a segurança de qualquer pessoa, incluindo a polícia. Não vi também ameaças à polícia por parte dos Black Blocs. Como a situação do Brasil foi se agravando, os Black Blocs também foram se radicalizando. Tive receio de criticar os Black Blocs para não ser injusto - primeiro, enxergo com calma os fatos e suas consequências e aí, depois, emito minha opinião - mas não condenei ou critiquei as pessoas que, logo de cara, condenaram os Black Blocs. Hoje, vejo as ações dos Black Blocs desnecessárias. Pior: vejo os brasileiros regredirem. Os brasileiros estão cada vez menos democráticos. Os Black Blocs, com sua intransigência; a mídia, que, intencionalmente, usam as ações transloucadas dos Black Blocs, para minar as manifestações populares; e, finalmente, o povo, que se assusta com qualquer manifestação espontânea dos jovens, sobretudo, os mais pobres, como no caso dos famigerados "rolezinhos".

    Como carioca, posso afirmar, com certeza, que a ojeriza ao governo Sergio Cabral é bem anterior às manifestações de Junho. O movimento contra Sergio Cabral, garanto, nada tem a ver com qualquer partido, seja de esquerda ou direita. Sim, os partidos que são contra Cabral tentaram - e ainda tentam - tirar partido de um movimento que não tem coloração partidária. Já em São Paulo, eu não sei, não sou paulista, não sei o que acontece por lá para dar minha opinião...

    Na minha opinião quem manipula as atitudes irresponsáveis dos Black Blocs, repito, é a grande mídia, que visa, com o medo que os Black Blocs causam na população, colocar a sociedade contra as manifestações populares. Numa sociedade democrática, em manifestações, têm de tudo, gente de todo o tipo, inclusive os Black Blocs, infelizmente. Não podemos satanizar as manifestações, mas é o que já está acontecendo. As atitudes dos Black Blocs são tão nocivas quanto a ação de jovens da classe média que dão porrada em menor de rua, que contam com apoio da sociedade. Não, não sou a favor de vagabundo, mas acho estranha uma sociedade que condena um grupo violento, com o os Black Blocs, mas aplaude uma gangue de playboys que se acha com poder de polícia.

    Vejo, com preocupação, as estratégias da mídia, da imprensa, de ultraconservadores de acabar com as manifestações, incutindo na cabeça das pessoas que manifestação tende à marginalidade, à barbárie, à desordem. Por outro lado, vejo, também, o oportunismo de partidos de esquerda de tentar aliciar manifestantes, independente de serem Black Blocs ou não, com o objetivos eleitorais, como tentaram fazer com os idealizadores dos "rolezinhos, felizmente, sem sucesso. O que eu sei é que a democracia do Brasil sempre foi frágil, para não dizer falsa - manifestar na rua, não pode, é perigoso, mas espancar pivete pé de chinelo, pode, é bonito...

    Não sou a favor dos Black Blocs, mas sou a favor das manifestações nas ruas, de "rolezinhos", pacíficos, claro, nos shoppings, porque temos que encarar o bônus e o ônus da democracia. E não vejo, ainda, intenções partidárias de boa parte das manifestações. Mas, não sou otimista, o Brasil não é uma democracia, então, vejo uma vilanização das manifestações, vejo gente infiltrada, de todo tipo, nas manifestações.

    No Brasil, Sakamori, Black Bloc não é só preto, tem várias cores, várias intenções, nenhuma delas positiva. Mas estou atento - e nas ruas, mas de cara limpa e exposta. Sou da paz. Bom domingo.

    ResponderExcluir
  4. Houve um erro. As duas postagens foram postadas, repetidamente, não sei o por quê. Tentei exclui-las, mas não consegui. A última postagem é a mais correta. Peço perdão pelo erro.

    ResponderExcluir
  5. Hái Sakamori "Samá" !
    Se Democracia fosse bom, a Grécia ( que inventou isso...) não tinha ido "pr'os quiabos"!!!...Lembrando colocações do saudoso "Bruxo" Golbery, creio que já tivemos o suficiente em termos de "diástole" política...estamos a necessitar e, com urgência, de uma "sístole"...obviamente com a benção do "Duque de Caxias" !
    Saudações Itaparicanas!

    ResponderExcluir
  6. ...como sempre uma visão à longo prazo ...que Deus te abençoe e proteja amigo ...pois o que enxergam a verdade ....sofrem mais ......

    ResponderExcluir
  7. Por mim se passarem fogo em todos tudo bem.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelos seus comentarios e analises imparciais da atual situação politica, só nos mostra a realidade , e coloca PT em seu devido lugar

    ResponderExcluir
  9. Toda vez que o PT se vê envolvido em grave situação, esses movimentos aparecem para o povo não saber da real situação. Atualmente, a inflação; dívida externa e interna;a denúncia da médica cubana do mais médicos que denunciou a podridão do PT; apagão elétrico.... são notícias que a mídia não transmite e nem debate com a sociedade. A mídia chapa branca só mostra o quebra-quebra e enquanto isso o Brasil realmente está quebrando nas mãos dos petistas.

    ResponderExcluir
  10. O comando faz o comandado... Se o PT fosse um partido decente e estivesse governando sem corrupção e cumprindo suas promessas de dar educação de qualidade, saúde, transporte, segurança, empregos e boa renda pra população... não estaríamos vivendo nesse caos que se transformou o país. Saka, parabéns pelas ótimas matérias e comentários que faz :) Ass. Old Monster :)

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.