Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Sinto vergonha de mim. Ruy Barbosa

Matéria enviada por João Amaury Belem

SINTO VERGONHA DE MIM
                                                                                Ruy Barbosa

Sinto vergonha de mim por ter sido educador de parte deste povo, por ter batalhado sempre pela justiça, por compactuar com a honestidade, por primar pela verdade e por ver esse povo já chamado varonil.

Sinto vergonha de mim por ter feito parte de uma era que lutou pela democracia, pela liberdade de ser e ter que entregar aos meus filhos, simples e abominavelmente a derrota das virtudes pelos vícios, a ausência da sensatez no julgamento da verdade, a negligência com a família, célula-mater da sociedade, a demasiada preocupação com o “eu” feliz a qualquer custo, buscando a tal “felicidade” em caminhos eivados de desrespeito para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo, a tantas desculpas ditadas pelo orgulho e vaidade, a tanta falta de humildade para reconhecer um erro cometido, a tantos “floreios” para justificar atos criminosos, a tanta relutância em esquecer a antiga posição de sempre “contestar”, voltar atrás e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim pois faço parte de um povo que não reconheço, enveredando por caminhos que não quero percorrer...
Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de garra, das minhas desilusões e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir pois amo este meu chão, vibro ao ouvir meu Hino e jamais usei minha Bandeira para enxugar o meu suor ou enrolar meu corpo na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim, tenho pena de ti, povo brasileiro! De tanto triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.

Segue o João Amaury Belém...

Para onde caminha esse jovem país chamado Brasil, pois, como Advogado aos 53 anos com uma filha de 18 anos neste ano de 2014 cursando o 2º ano de Direito, tenho vergonha da minha impotência, das minhas desilusões e do meu cansaço em ver tanta mediocridade ao longo dos últimos doze anos, de ver triunfar as nulidades, de ver prosperar a desonra, de ver crescer a injustiça, de ver agigantarem-se os poderes nas mãos de uma corja de sindicalistas desonestos que em pleno século XXI, início do terceiro milênio tem a desfaçatez de querer enfiar goela abaixo dos homens de bem desse país que a única solução é o comunismo/socialismo.
Como Homem chego a desanimar da virtude, e choro por aqueles que riem da honra e têm vergonha de serem honestos.


João Amaury Belem
Advogado



6 comentários:

  1. Nobre causidico Belém!

    Aos bons, fraternos, retos e justos ainda sentem a vergonha, a alma pesada, o coraçao pulsante pela "impotência" - o maior mal para um ser com cérebro - e sentimos-no envergonhados, quase acovardados por tudo isso.
    E como tu, nobre Belém, o primeiro pensament de um Brasilês puro, é com seus filhos, e com os filhos dos filhos dos outros brasileses.

    Como compartilho de teu desabafo utilizando Rui Barbosa.

    Congratulo-me por ter escolhido um espaço tão nobre. De um ser de alma nobre como este Mestre e Sensei Ossami.

    Escolhestes o assunto e o local correto para fazer os brasileses pensarem.

    Meus respeitos, estima e admiração.

    Somo dois amigo.

    Com afetos do Rio Grande do Sul

    José Carlos Bortoloti
    Passo Fundo - RS -
    www.epensarnaodoi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Às vezes penso assim. Contudo, se deixarmos a desilusão e o desânimo nos contagiar, perderemos a guerra. Essa é mais uma batalha das muitas que o Brasil está e estará travando contra o mal. Nós não perdemos a batalha ainda e muito menos a guerra. Vamos em frente que atrás vem gente(filhos, netos, bisnetos.....) e eles dependem da nossa luta e garra. Nós somos seus exemplos.

    ResponderExcluir
  3. Tambem sinto muita vergonha de saber que o mundo todo esta tomando conhecimento do que esta acontecendo aqui. Mas, infelizmente, nada posso fazer a nao ser responder nas urnas toda a minha indignação. Os políticos que tem o poder de nos ajudar, estão preocupados com eles próprios, pois nao demonstram como deveriam, estão indiferentes. Há uma minoria que ainda tenta fazer algo, mas nao eh atendida, simplesmente são bloqueados pelo poderio podre do Congresso!

    ResponderExcluir
  4. SÓ UMA CORREÇÃO PARA QUE SE FAÇA JUSTIÇA PLENA. ESSE ESCRITO NÃO É DE RUI RARBOSA COMO DIZ NO TÍTULO. ESSE ESCRITO É DE AUTORIA DE CLEIDE CANTON.

    ResponderExcluir
  5. Parte é do Ruy Barbosa sim Marcos, procure se informar !

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.