Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Superávit primário 2014. Mais uma enganação da Dilma!

Não entendi bem o estardalhaço feito em cima do anúncio da meta de superávit primário em R$ 44 bilhões.  Número menor que o superávit primário alcançado pelo governo em 2013 de R$ 75 bilhões.  Os números se referem apenas a parte do governo federal, excluídos os superávit primário dos estados e municípios que devem comparecer com o restante para alcançar R$ 88 bilhões.  

Primeiro de tudo, vamos lembrar que o superávit primário é o que o governo propõe de gerar saldo entre receitas e despesas nas contas do governo para tentar pagar os juros da dívida.  No caso o Tesouro propõe separar das receitas R$ 44 bilhões para pagamento de "parte" de juros.  Os juros vincendos em 2014, em tese, seria em torno de R$ 235 bilhões se considerarmos a dívida líquida do Tesouro, no conceito do BC.  Seria de R$ 380 bilhões, se considerarmos a dívida bruta do Tesouro, segundo conceito do mercado financeiro global e meu também.

Explicado isto, de que o superávit primário está longe de cobrir nem mesmo o pagamento de juros vincendos em 2014, lembro aos leigos que os juros mencionados acima não vem em contas separadas, mas sim embutidos nos títulos vincendos.  Isto dificulta a compreensão sobre o que o País paga de juros por ano.  Por esta razão, o governo federal nem anuncia ao mercado, quanto de juros reais está pagando para rolagem dos seus títulos da dívida interna. Seria como expor uma "ferida gigante" nas contas do governo federal.  

Os números apresentados do superávit primário, da parte do governo federal corresponde a 1% do PIB, o restante 0,9% do PIB, vem da parte dos estados e municípios, somando assim 1,9% do PIB o superávit primário consolidado.  O número que os organismos internacionais como FMI, bem como banco central americano FED, é ligeiramente superior, ou seja, entre 2% a 3% do PIB.  O número 1,9% do PIB, é apenas emblemático.  Apenas para inglês ver! Quis o governo mostrar que a meta está ligeiramente abaixo do exigido pelo mercado financeiro global, mas que seria um número factível.  Dou mil gargalhadas!

No primeiro momento, o mercado financeiro aceitou com certo otimismo ao número apresentado pela equipe econômica.  A partir de hoje, os analistas mais experientes e os especuladores internacionais vão analisar o que se passa no Brasil.  Pode ser que dê o voto de confiança para os trapalhões brasileiros ou pode ser que achem mais uma piada de mal gosto.  A segunda hipótese é mais provável.  O mercado financeiro internacional não acredita no governo Dilma Rousseff, muito por conta das declarações desastradas dadas pela presidente nos seus périplos pelo mundo.  

Diante dos números da meta de superávit primário anunciado, as agências de classificação de riscos e grandes bancos americanos, preferiram manter no silêncio, ontem, diante do anúncio.  O que interessa para o mercado financeiro global são as notas de classificação das agências e de bancos para tomarem decisões sobre investimentos no Brasil.  Por enquanto, está mantido o viés de baixa nas notas de classificação para estes atores.

Sobre o tema abordado aqui, a meta de superávit primário do governo federal em 2014, na minha opinião é mais uma peça "engana trouxa" para o povo e para o mercado financeiro global.  Tem sempre os cordões de puxa sacos que aplaudem a medida anunciada.  Aliás, aplaudem qualquer medida que são anunciadas pela presidente Dilma.  Estou fora deste contingente! Não me contamino por esta doença de subserviência aos poderes da República.

E você?  Vai continuar aplaudindo a Dilma nos seus anúncios espumas?  Vai estar do lado dos 43% que pretende reeleger a presidente Dilma para mais um mandato de 4 anos?  Estou fora, meu!  Ainda estou com minha sanidade mental em ordem! 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori



5 comentários:

  1. Ótimo artigo. Como já disse, o que me preocupa são os 40 milhões de miseráveis que infelizmente ainda existem no Brasil e são usados como massa de manobra. Se não fossem eles, o PT não tinha 30% dos votos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só corrigindo... são 22 milhões beneficiários do Bolsa Miséria, concomitante com 55 milhões de analfabetos funcionais. São massas de manobras muito fácil de manipular, tanto de um lado como de outro.
      Parabéns pela visão crítica!

      Excluir
    2. Pior... Se subiu pra 55 milhões parece que está dando certo pra eles...

      Excluir
  2. Tive a infelicidade de por uma única vez votar no monstro de 9 dedos. Dei um tiro no pé! Recebo aposentadoria pela Previ, fundo de pensão dos funcionários do banco do Brasil que é utilizado como "casa da mãe joana" pelos petistas.
    A Previ é o maior fundo de pensão da América Latina onde beneficiários passam fome e dirigentes recebem mais de 100 mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce não foi o único, meu caro. No Brasil reeleição não dá muito certo, na minha opinião. E governo 12 anos no poder é essa rede de corrupção que evolui cada vez mais. Aqui mesmo o Sr Sakamoto já cansou de denunciar esquemas bilionários. Esse PT bateu todos os recordes...

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.