Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 30 de março de 2014

Brasil da Dilma. Inflação de expectativa 21% !

Fico preocupado com o que está ocorrendo na economia, com relação à inflação.  Definitivamente, a inflação real está muito acima da inflação medida pelo governo federal através do IBGE.  O governo alardeia que a inflação está controlada, baseado no índice captado pelo IBGE denominado de IPCA, que é a inflação oficial divulgado pelo Banco Central.


Vamos lembrar que o Banco Central estabeleceu como meta de inflação para o ano de 2014 como sendo 4,5%.  Sobre a meta, o próprio Banco Central estabelece como piso 2,5% e como teto 6,5%.  O próprio Banco Central faz projeção para inflação de 6,1% para o ano de 2014, sendo que ainda faltam 9 meses para terminar o ano.  Isto já nem cheira bem, isto fede!

A inflação está represada no índice oficial pelas medidas populista da presidente Dilma, com finalidade de assegurar a sua reeleição no cargo de presidente da República. Mas a inflação real, do mercado, do bolso, nada tem a ver com o índice oficial.  

O governo segura a inflação fazendo controle sobre o câmbio, via medidas como venda de títulos denominados de swap cambial tradicional, que nada mais é do que título do Tesouro cujo rendimento é a própria variação cambial do período entre o lançamento e o vencimento.  O swap cambial no montante global anunciado pelo Banco Central é de US$ 100 bilhões.  Se considerar que a reserva cambial brasileira é de US$ 365 bilhões, o número é bastante expressivo. 


Nenhum analista chama atenção sobre o câmbio controlado. Mas, no meu entender, está sendo o principal âncora para segurar a inflação. No entanto, produz efeito nefasto à economia provocando desindustrialização do País.  Como o Brasil passou a importar quase tudo, a estabilidade da cotação do dólar passou a ser crucial para o controle da inflação.  Dizem analistas econômicos que uma variação de 20% na cotação do dólar, produz acréscimo de inflação em 5%.  Estou de acordo com esta tese, também. E a cotação do dólar no meu entender está defasado em 20%.

Outras intervenções que o governo Dilma vem fazendo é nas tarifas administradas como os combustíveis, energia elétrica e nas tarifas de metropolitanos.  Segundo Mônica de Bolle da Galanto Consultoria e professora da PUC/RJ.  A tarifa de energia está defasada em 25% e a de combustíveis em 15%.  Se soltar os preços represados, hoje 31 de março, traria inflação adicional de 8% a 8,5% sobre a inflação oficial.  


O que a professora Mônica de Bolle da PUC quis dizer que se as tarifas fossem reajustados hoje, tirando a defasagem de preços, a inflação oficial, IPCA, iria pular para entre 14% a 14,5%.  

Como diz o ex-ministro e diretor da Tendência Consultoria, Mailson da Nobrega, que não existe quem acredite na inflação manipulada pelo governo federal.  Segundo Mailson, os agentes econômicos, comerciantes e empresários em geral, trabalham com a inflação de expectativa e não mais com a inflação oficial, o índice IPCA.  Isto quer dizer que os empresários trabalham com a inflação dita pela Mônica do Bolle de 14% a 14,5% ao ano!


Eu já tinha me manifestado sobre a inflação do bolso estar entre 13% a 14%, sem ter esta informação dos analistas do mercado.  A minha percepção era baseado em nível praticado pelo mercado financeiro sobre os juros exigidos para compra dos títulos do governo com prazo de 10 anos. 

Esta defasagem entre inflação real do mercado e a inflação oficial do governo Dilma, uma hora terá que ser reajustado. Somado à inflação de mercado, os 14%, mais a correção da defasagem cambial, digamos em 20%, a inflação do mercado passa a ser de 21% considerando a tese do efeito cascata sobre os preços.  

Isto configura aquilo que todos sentem no bolso, independente do que diz o governo Dilma, de que há inflação dito pelo governo de 6% ao ano, mas há também inflação percebido e praticado pelo mercado de 21% ao ano. Isto está parecendo mais Argentina do que Chile.  Isto não é efeito tango. Isto se chama efeito samba, que estamos exportando para o mundo. 


Somado tudo, a defasagem entre a inflação oficial e a inflação real passa a ser:  21% - 6% = 15%.  Isto mesmo! O represamento da inflação se considerar os fatores câmbio e preços administrados é de 15%.  Isto é a "herança maldita" que o governo Dilma deixa para ela própria se ganhar a disputa ou para o novo ocupante do cargo de presidente da República, para o próximo período.

 
Resumindo, apesar de Dilma apregoar que a inflação do País está sob controle dentro do teto da meta de 6,5%, a inflação do bolso está em 21% ao ano. Podemos afirmar, diante dos argumentos técnicos, de que a Dilma mente ao povo brasileiro.  O quadro da economia brasileira está a merecer atenção especial.  O momento não é de brincar com os números.  O momento é de encarar a realidade.  Quanto mais tarde medidas de correção, o remédio terá que ser mais amargo. 


Se reeleger Dilma para o próximo período do governo, o Brasil vai à bancarrota!  Chega de Dilma, a incompetente!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori
@SakaBrasil2

9 comentários:

  1. SERÁ QUE PRECISA DIZER MAIS ALGUMA COISA ????? JÁ ESTAMOS R EALMENTE NO FUNDO DO POÇO . VAI BANANÃO; FESTA ; CARNAVAL ; COPA DO MUNDO ; FIFA SAFADA . TOMARA QUE OS BLACK BLOCs. ARREBENTEM COM TUDO APENAS ISTO PARA ACRESCENTAR .!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela bela matéria publicada. De fato, de há muito tempo que temos as nossas desconfianças em relação aos índices oficiais da inflação. E isso nós sentimos quando vamos ao supermercado para realizar compras. E quanto à questão dos preços administrados, ninguém discute, pois todos sabemos que o Governo vem segurando os preços da energia elétrica, dos combustíveis, dentre outros. Só que isso está sendo feito agora em razão das eleições de 2014. No próximo ano, seja quem for o Governo, alguém terá que pagar a conta. Agora é aguardar. Acesse o nosso blog: www.ideiasefatostucujus.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Desde o segundo mandato do Lula, nós, brasileiros, vivemos num círculo vicioso perigoso e permanente, que é dança dos juros e a inflação. Apesar dos males da inflação, o brasileiro resolveu se endividar na marra, contribuindo para a alta da inflação e, por conseguinte, dos juros. Mas, não estou surpreso, sempre tive a certeza que a América é uma coisa só, mais do que um continente, um país, unificado pela mesma política social e econômica. O que ocorre no Brasil é a mesma crise que vemos nos países mais importantes do bloco sul americano.

    ResponderExcluir
  4. O governo Dilma Rousseff conseguiu a façanha de combinar a estagflação com expectativas péssimas sobre o futuro da economia. O grande pesadelo dos agentes econômicos hoje não são o baixo crescimento, os juros estratosféricos ou o déficit externo, o terceiro mais alto do mundo em volume e o segundo como porcentagem do PIB. O que os assusta de verdade é a possibilidade de que esse governo incompetente se prolongue por mais quatro anos. Não dá mais !
    Abs.
    Zé Tucano

    ResponderExcluir
  5. Difícil se conformar em perder a estabilidade da moeda que levamos tanto tempo para conseguir. Só que não adianta não reeleger a Dilma, não podemos reeleger o PT...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo inteiramente com você.
      Qualquer candidato que vier, vai receber uma herança maldita, mas, pelo menos, que não seja o pt.

      Excluir
  6. Já passou da hora do PT sair do poder.
    Acorda Brasil

    ResponderExcluir
  7. Fora PT .... O POVO PRECISA ACORDAR.

    ResponderExcluir
  8. Quero agradecer ao blog e ao Ossami pela iniciativa de aceitar todos os comentários, de todas as vertentes de opinião.
    Frequento sites e blogs relacionados a política, e a maioria deles censura e não aprova comentários contrários ou divergentes da ideologia ou pensamento dos administradores, mesmo que os comentários sejam educados e sem ofensas.
    Fui censurado inúmeras vezes em sites e blogs apenas por postar humildes opiniões contrárias, e achei um absurdo. Um país só vai pra frente quando todos tem o direito assegurado de livremente expressar suas opiniões, respeitosas é claro.

    Parabéns Ossami, você faz a diferença hoje na internet brasileira!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.