Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 9 de março de 2014

Economia BR. Sinal vermelho no setor elétrico!

A conta do setor elétrico, segundo dados levantados pelo jornal Estadão, ascende a R$ 42,4 bilhões, contando com as indenizações de investimento no setor elétrico entre geração e transmissão, numa política econômica totalmente equivocada do governo Dilma.  Uma demonstração de incompetência da própria Dilma, que era considerada a "expert" no setor de minas e energia.  Condição pela qual Dilma foi eleita presidente em 2010. 

A perda do valor das ações do setor elétrico, ainda segundo conta do Estadão, vai além de R$ 60 bilhões, com uma média de perda de 75% do valor se comparado pelo maior valor das ações em 2008.  O certo é que os investidores minoritários das companhias do setor, estão com cerca de 1/4 do valor aplicado em 2008.  Isto, não quer dizer que todos os investidores estão amargando o prejuízo de 75%, uma vez que nem todos compraram ações em 2008.

A Dilma, num ato de "insanidade mental", quer manter o setor de energia subsidiado, aplicando um reajuste em torno de 4,6% neste ano para as tarifas de energia.  Como a inflação passada foi próximo de 6%, o pequeno reajuste não cobre sequer a perda da desvalorização da moeda.  Ao continuar queimando gás e diesel nas térmicas, o rombo no final do ano de 2014, ficará muito além dos atuais R$ 42,4 bilhões.  Lembrando que a Dilma já tomou até o dinheiro em caixa da binacional Itaipu, tornando a empresa pela primeira vez, inadimplente, com os fornecedores.  

Existe um ditado que diz que "o almoço não é de graça".  O equívoco da política da Dilma, no setor elétrico, é o caso típico, o almoço que estamos fazendo com comida muito barata, uma hora vem a conta.  Isto quer dizer duas coisas.  A primeira é que em 2014, as tarifas de energia vão permanecer subsidiados.  A segunda constatação é de que o próximo governo, 2015-2018, terá de pagar a conta deixada pela Dilma.

Convém lembrar aqui um fato.  A presidente Dilma, antes de ser tornar Chefe da Casa Civil no governo Lula, ela foi ministra de Minas e Energia.  Foi passado aos eleitores, pelo próprio Lula, como uma mulher capaz, uma verdadeira "gerentona" da máquina pública.  Pela pequena amostra da crise, no setores de energia, englobando Petrobras e Eletrobras, a Dilma é uma verdadeira destruidora do patrimônio público.  Dilma é responsável pelo sucateamento das duas maiores companhias de controle do Estado, construído com o sacrifício do povo, durante várias décadas.  

Dilma é responsável, direta e indiretamente, pela destruição do patrimônio público, com o único interesse em provocar "sensação de bem estar" para manter a popularidade em alta, versão Evita brasileira.  Para ser direto nas colocações, podemos dizer que a M feita pela Dilma, quem vai pagar a conta é a própria população, na próxima gestão, seja ela ou seja alguém da oposição.  Tudo pela reeleição é a ordem que os seus "aspones" estão tendo que cumprir, custe o que custar.  Ou melhor dizendo, utilizando as palavras da própria Dilma, "mesmo se aliando ao diabo".

Dilma, tenha dó de nós!  O povo já está cansado de levar no rabo, dito em palavras chulas.  Só assim, o povo acorda para os fatos importantes na economia do País.  O Brasil não é da Dilma, vamos usar da franqueza.  O Brasil é do seu povo, Dilma!  Vamos ficar na posição sinal vermelho para o setor elétrico, não mais sinal amarelo.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

Um comentário:

  1. Parabéns pela brilhante matéria publicada. E o mais grave de tudo ainda é que estamos correndo um sério risco de ter apagão em 2014, segundo notícia publicada na última edição da Revista Exame, que alerta, inclusive, para o fato de que esse problema põe em xeque a reeleição da presidente Dilma. Fizemos, inclusive, uma matéria e publicamos no nosso blog, tem como título "Risco de Apagão põe em Xeque Reeleição da presidente Dilma". Nosso site: www.ideiasefatostucujus.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.