Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 22 de março de 2014

Economia e política. Resumo da semana.

Hoje, estou sem assunto específico para escrever. Na área política, fervendo o assunto da maracutaia da Petrobras.  Na área policial, prisão do ex-diretor da Companhia que teria feito o parecer e que Dilma diz não ter lido.  O principal suspeito da lavagem de dinheiro, preso, Alberto Yousseff,  ameaça botar boca no trombone.  Já disse que recebeu alguns milhões de dólares de uma empreiteira. 

 O fato é que o assunto Dilma x Petrobras vai render muitos dividendos para a oposição.  E, na prática, a Dilma e Sergio Gabrielli poderão ser investigados e condenados nos EEUU, pela operação fraudulenta da compra da refinaria de Pasadena, sob investigação do MPF e Polícia Federal.  Nem sei, porque o assunto veio a baila somente agora, uma vez que este blog já denunciou o fato há mais de 1 ano. 


 Na área política, na semana que vem deve ser votado o Marco Civil da Internet, com novo texto acordado entre Dilma, PT/RS e Dudu Cunha, PMDB/RJ. O texto foi modificado a ponto de inviabilizar a pretensão da Dilma de censurar as redes sociais, via banco de dados destas.  O pano de fundo será a equalização dos tráfegos de diversas origens e formatos de arquivos eplas companhias telefôncias, assunto, que é de competência da Anatel.  Não havia necessidade de lei para regulamentar sobre prestação de serviço pelas concessionárias de telecomunicações. 

Sinal de alerta vem do IPC-S, a prévia da inflação oficial, o IPCA. Há sinais claros de que a inflação está em linha ascendente.  Alguns analistas, acham que o último aumento da taxa Selic foi insuficiente. Acham, agora, que o aumento deveria ter sido de 0,5%.  Depois de onça morta, todo mundo quer virar caçador.  De qualquer forma, embora de forma equivocada, a próxima reunião do COPOM deve aumentar, novamente a taxa Selic, para 11% cravados.  Lembrando que a minha tese é bem diverso do pensamento do mercado.  A taxa Selic para mim, não é remédio para inflação, mas apenas termômetro da fragilidade da política econômica.
Outra preocupação latente é uma eventual racionamento de energia elétrica, devido a escassez de chuvas, no próximo inverno.  Os níveis de reservatórios estão no limite mínimo, só visto em 2001, quando motivou o racionamento de energia na gestão FHC.  As usinas térmicas estão com carga plena.  Diante da situação, o País está totalmente dependente do regime de chuvas deste outono e do próximo inverno. Digamos que Dilma está torcendo para São Pedro, não a abandonar, no projeto de reeleição.


No mais, vamos acompanhando o desenrolar.  Vou colocando a par dos novos acontecimentos na área política e na área econômica, no seu devido tempo. O momento merece atenção em ambas áreas!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

4 comentários:

  1. Parabéns. Ótimo resumo dos acontecimentos da semana. E com eles estou de pleno acordo. De fato essa questão da Petrobrás promete dar dor de cabeça a presidente Dilma e deverá render alguns dividendos para a oposição. E ainda são sérias as ameaças de alta da inflação e de racionamento de energia. Se não houver uma mudança no cenário, poderemos ter reviravoltas na política.

    ResponderExcluir
  2. BOM DIA SAKA,

    A QUESTÃO DA INFLAÇÃO ME PARECE TÃO SIMPLES, APESAR DE NÃO TER FORMAÇÃO.
    A CONTA DA ENERGIA,(TERMOS), JÁ ESTÁ EM 40 BILHÕES HOJE. A MEDIDA POPULISTA DE BAIXAR A CONTA RECAIRÁ SOBRE O TESOURO.
    A REBELDIA DO BLOCÃO IRÁ CUSTAR MAIS ALGUNS BILHÕES. A PETROBRÁS ALGUNS ANOS ATRÁS ERA A 12° EMPRESA MAIS VALIOSA DO MUNDO, HOJE SALVO ENGANO É A 120° E JÁ PODE IR PRO GUINESS COMO A GIGANTE QUE MAIS PERDEU VALOR. MESMO COM A CONTABILIDADE CRIATIVA, ACENA COM PREJUÍZO. A CONTA DA COPA VAI PASSAR DE 30 BILHÕES, O BNDES AINDA TEM A CONTA DO PORTO EM CUBA E DO METRÔ DE CARACAS SOMADAS AOS GENEROSOS EMPRÉSTIMOS PARA MANTER FUNCIONANDO PRECARIAMENTE A INDÚSTRIA RAQUÍTICA E SEM A MENOR CHANCE DE COMPETIR NO MERCADO EXTERNO. DÉFICIT COMERCIAL EM UM ANO RUMO AOS U$100 BILHÕES, FUGA DE INVESTIDORES E CANCELAMENTO DE INVESTIMENTO DIRETO. JUROS EM ALTA PRESSIONANDO O DÉFICIT PÚBLICO QUE JÁ CHEGOU NA ESTRATOSFERA,CARGA TRIBUTÁRIA EM ALTA,
    AGRONEGÓCIO REALIZANDO PERDAS DEVIDO A ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS. TARIFAS DE TRANSPORTES REPRESADAS E O PREÇO COMBUSTÍVEL IDEM. A INADIMPLÊNCIA ESTÁVEL COM VIEZ DE ALTA MESMO COM A RESTRIÇÃO DE CRÉDITO. ESQUECI DE ALGO?
    AH! ANO DE ELEIÇÃO AS IMPRESSORAS DA CASA DA MOEDA NÃO PARAM DE IMPRIMIR CÉDULAS.
    O MERCADO INUNDADO DE REAIS PRESSIONA O DÓLAR OBRIGANDO O BANCO CENTRAL A INTERVIR, REDUZINDO O SALDO DAS RESERVAS INTERNACIONAIS. NO ENTANTO MAIS DINHEIRO NA MÃO DO CONSUMIDOR, AUMENTA O CONSUMO. O EMPRESÁRIO PREFERE AUMENTAR OS PREÇOS Á AUMENTAR A PRODUÇÃO, POIS NÃO CONFIA NO GOVERNO E NA ECONOMIA.COM ISSO A INFLAÇÃO DISPARA OBRIGANDO NOVA ALTA DE JUROS.
    ACHO QUE OS JUROS FECHAM O CICLO.
    BELO CENÁRIO. É UMA BOMBA COM O TIMER LIGADO. RESTA SABER SE EXPLODE ANTES OU DEPOIS DE OUTUBRO.

    ResponderExcluir
  3. Com muito pouco Collor foi derrubado pelo povo nas ruas, Dilma já ultrapassou os limites.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Ricardo,

    Gostaria de discordar de você, mas não posso. Você falou as verdades. Todas com números, grosso modo, próximos da realidade. E a conjuntura econômica, também.

    O timer da Dilma está acionado para depois das eleições deste ano. No entanto, tenho o mesmo pensamento que vc expressa. Será que a bomba relógio vai obedecer o timer? Há possibilidade concreta de explodir antes.

    Parabéns pelo comentário! Contamos com vc, sempre, aqui no blog!

    Ossami Sakamori

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.