Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Economia BR por Mansueto Almeida

Por Mansueto Almeida
Blog do Mansueto   (link)



Sabe quando chega uma hora que você literalmente se cansa de debater? Você escuta várias coisas supostamente interessantes, mas que não fazem muito sentido e, para não ser chamado de chato, é melhor ficar calado. Ao longo das últimas duas semanas tenho escutado ou lido coisas que me assustam.

(1) Governo segura tarifas para conter inflação, diz ministro: Mercadante admite controle de preços de combustíveis e energia elétrica (Folha de São Paulo 13 de maio de 2014)

Eu chequei com dois ex-presidentes do Banco Central do Brasil se isso fazia sentido. Eu poderia estar defasado nessa literatura, mas não. Eles me falaram que nunca escutaram algo tão absurdo. Mas se o nosso ministro de fato acredita em tamanho absurdo é capaz de o governo tentar um mega controle de preços à la Argentina para controlar a inflação após eleição (se reeleito). A única forma de ser otimista é achar que o ministro da Casa Civil não acredita no que falou. Mas se ele de fato acreditar, ………

(2) Dilma desconfia do mercado como regulador de preços: Assessores afirmam que petista quer conter “lucros excessivos” de empresários e proteger consumidores  (Folha de São Paulo 19 de maio de 2014)

Essa matéria me surpreendeu e acho que isso deve ser claramente intriga da oposição. Não é possível que nossa presidenta tenha feito as declarações que a ela são imputadas pela matéria. Se isso fosse verdade, significaria que a presidenta acha que a sua vontade consegue fazer a mágica de reduzir preços, apesar do aumento da proteção comercial no seu governo. Esse trecho não pode ser verdade:

“No início de seu mandato, em 2011, Dilma Rousseff fez uma cobrança dura à equipe: na sua opinião, eles não estavam fazendo nada para segurar o aumento, considerado por ela “exagerado”, das passagens aéreas. Ao ouvir de assessores que os preços do setor são livres, a presidente, irritada, gritou: “Isso é coisa de tucano”. Foi então lembrada que a última normatização sobre a área havia sido feita em 2006 –no governo Lula, portanto.”

(3) Custos do PAC disparam na gestão Dilma (Valor Econômico 919 de maio de 2014)

Como isso pode ser possível se o PAC foi concebido para melhorar o planejamento e o acompanhamento das obras públicas? A matéria fala que:

“Na contramão dos atrasos recorrentes em seus cronogramas de execução, o orçamento das “megaobras” da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) disparou nos quase três anos e meio de mandato da presidente Dilma Rousseff. Falhas em projetos de engenharia, aditivos contratuais, compensações socioambientais acima das estimativas iniciais e até reajustes salariais de trabalhadores superiores à inflação fizeram o valor total de 12 grandes empreendimentos subir R$ 42,7 bilhões desde dezembro de 2010.”

Isso não pode ser verdade. Será? Bom, espero que a matéria esteja errada. Mas uma coisa me deixou com uma pulga atrás da orelha. Uma grande empreiteira brasileira recentemente terminou um novo estudo sobre o custo do Trem de Alta Velocidade. Custo sem a desapropriação das terras? R$ 85 bilhões. O governo acredita que pode fazer por menos. A ver. Mas se esse projeto sair, eu de fato vou para o time dos pessimistas.

(4) Para ajudar no superávit, governo tenta segurar R$ 1,32 bi do PIS: Campanha publicitária para incentivar a retirada do benefício é suspensa (Jornal O Globo 16 de maio de 2014).

Que o governo terá MUITA dificuldade para entregar a meta do primário de 1,9% do PIB este ano já se sabe. Agora segurar os recursos do pagamento do abono salarial para melhorar o resultado primário de apenas um mês é um desespero muito além do que eu esperava. Segundo a matéria:

“O prazo para o recebimento do abono encerra no dia 30 de junho. Em anos anteriores, o governo fez campanhas publicitárias para alertar as pessoas a procurarem as agências da Caixa Econômica Federal e sacar o dinheiro dentro do prazo. Este ano, em março, o Ministério do Trabalho iniciou os preparativos da campanha publicitária, mas ela foi suspensa. De acordo com integrantes do governo, a orientação partiu do Ministério da Fazenda e o objetivo é reservar os recursos para compor o superávit primário, economia que o governo faz para o pagamento dos juros da dívida.”

O ministério da fazenda negou tal prática, mas as fontes da matéria do jornal são funcionários do próprio governo. Ficou o dito pelo não dito e vamos torcer para que isso não seja verdade.

(5) CCJ aprova aumento acima do teto para juízes e membros do MP: Presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa defendeu criação de adicional por tempo de serviço. (Congresso em Foco). 

A minha visão pessoal como economista, por favor não me processem por divulgar minha opinião, é que o teto vale para todo mundo. Mas hoje a CCJ aprovou uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelece o pagamento de adicional por tempo de serviço a juízes e membros do Ministério Público da União, dos estados e do Distrito Federal. A concessão do benefício permitirá que essas recebam acima do teto constitucional, fixado atualmente em R$ 29,4 mil.

Mas hoje também o Ministro do STF, Marco Aurélio Mello, reviu liminar que havia concedido e mandou suspender os supersalários no Congresso Nacional. Ou seja, cria-se uma gratificação para permitir que juízes e membros do Min. Público possam ganhar acima do teto e no mesmo dia um Ministro do STF manda cortar os salários dos 1.800 funcionários do Congresso Nacional que recebem acima do teto?

Qual a mensagem que fica? Que todos os demais funcionários públicos devem lutar por gratificações por adicional por tempo de serviço como fez os juízes e membros MP para que as demais carreiras possam furar o teto constitucional de R$ 29,4 mil.

Justiça seja feita. Neste caso, ao contrário dos demais, os senadores do PT votaram contra, bem como o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). Mas o PMDB votou a favor e a emenda foi apresentada pelo senador Gim Argello (PTB-DF).

(6) PF diz haver suspeita de atuação de ‘organização criminosa’ na Petrobras (Folha de São Paulo 21 de maio de 2014).
Crédito da foto: UOL

Para terminar a rodada de noticias malucas que ando lendo, matéria da Folha de São Paulo afirma que: “Relatório da Polícia Federal que faz parte do inquérito que apura a compra da refinaria de Pasadena (EUA) afirma haver a suspeita da existência de uma “organização criminosa no seio da empresa Petrobras” que patrocinaria desvio de recursos públicos para o exterior e consequente “retorno de numerário via empresas offshore”.

Vamos torcer para que o relatório da Polícia Federal esteja errado e que a suspeita de uma organização criminosa no seio da empresa Petrobras” não se confirme. Uma coisa no entanto podemos confirmar.

Alguém deste governo teve uma excelente ideia de aumentar excessivamente a exigência de conteúdo nacional dos investimentos no Pré Sal, atrasar os reajustes do preço dos combustíveis, ocasionado um problema na geração de caixa da Petrobras e levando a empresa a um super endividamento que superou US$ 100 bilhões no primeiro trimestre deste ano – uma dívida equivalente a quatro vezes sua geração de caixa operacional – leiam aqui o post do excelente blog de notícias de mercado de mercado do jornalista Geraldo Samor da VEJA mercados.

Fala corretamente o colunista: “A Petrobras não precisa ser privatizada. Só de voltar a pertencer ao Brasil, a ação já valeria o dobro.”

Mas nessa confusão sobre a Petrobras só não entendi uma coisa. Acho que escutei alguém do governo falar que a oposição queria destruir a Petrobras. Eu não sabia que era a oposição que nomeava os diretores e presidente da Petrobras. Eu também não sabia que era a oposição que determinava a política de reajuste dos preços combustíveis. Que oposição é esta?

Acho que a melhor coisa a fazer para ficar otimista é assistir Dora Aventureira ou Diego com o meu filho de três anos. Pelo menos nesses casos tenho certeza que a Dora vai conseguir passar pelos obstáculos do mapa e o Diego vai ter sucesso em salvar o animal em perigo.

Mansueto de Almeida
Economista do IPEA - Brasília

Maior parte do que o Mansueto Almeida comenta, coincide com o meu pensamento, exposto ao longo destes últimos dias.  As fotos foram incluídos por minha iniciativa.  

Receba por e-mail as matérias do economista Mansueto Almeida cadastrando-se no blog dele.  O link do blog está exposta no início da página. 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.