Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 4 de maio de 2014

Mais médicos. Carta à presidente Dilma.

Por Milton Simon Pires
2 de julho 2013.


Excelentíssima Senhora Presidente da República Dilma Rousseff,



                          Permita-me a apresentação: na minha opinião, eu sou um médico, na sua, um “trabalhador da saúde”. Na minha opinião, medicina é cuidar de pessoas doentes, na sua, é fazer “transformação social”. Eu penso em salvar vidas, a senhora em ganhar votos. Como podemos ver, a senhora e eu não temos muito em comum à primeira vista, mas existem na minha vida alguns fatos que a senhora desconhece.

Assim como a senhora, eu já fui marxista – e dos fanáticos!  Brigava com colegas da faculdade no final dos 80 e início dos anos 90 para ver seu projeto de poder realizado. Caminhei ao lado daquele seu amigo que gosta de uma cachacinha e costuma ser fotografado com livros de cabeça para baixo. Conversei pessoalmente com o “poeta do sêmen derramado” que agora governa o Rio Grande do Sul.


Não tinha ideia correta daquilo que havia acontecido no Brasil entre 1964 e 1985. Imaginava, como a senhora quer fazer parecer até hoje, que tudo estava indo bem até que militares malvados que não tinham nada para fazer decidiram, com ajuda dos americanos, derrubar o governo brasileiro.


Eu só me dei conta, presidente, de quem Lula, a senhora e seu partido-religião representavam quando comecei a trabalhar com a gente de vocês aqui em Porto Alegre a partir de 98. Duvido que eu estivesse mal-preparado, sabe? Eu já tinha feito 6 anos de faculdade, um ano de residência em pediatria, um de medicina interna e dois de cardiologia. Gostaria que a senhora visse em que lugar seus “cumpanheros” aqui dos pampas me colocaram para trabalhar...

Imagino a senhora doente naquelas condições de segurança, higiene, espaço e administração que a ralé do PT do Rio Grande do Sul nos ofereceu. A senhora tem idéia de como deve se sentir um médico ao ter seu estágio probatório avaliado por técnicos de enfermagem? A senhora sabe o que é receber, depois de tudo que se estudou na vida, ordens de enfermeiras, presidente? Em nome de quê? Em nome de um delírio chamado “democratização da gestão”? Em nome de um absurdo chamado “controle social”?
   
senhora tem alguma noção de quantas pessoas eu vi morrerem depois que esse seu partido de assassinos e mensaleiros terminaram com o resto da rede hospitalar brasileira “aparelhando” a gestão dela com uma legião de analfabetos, recalcados, alcoólatras e incompetentes, que por oferecer uma parte de seu salário ao PT, passaram a dar ordens a homens e mulheres com capacidade de salvar vidas?


Mas por favor, não fique ofendida comigo, presidente, de certa forma essa carta é um agradecimento, sabe? Formado há quase 20 anos, eu nunca havia visto os médicos brasileiros tão unidos quanto agora. É mais um mérito seu e desse seu partido: promover a maior humilhação que os médicos de um país sofreram até hoje! A senhora não tem vergonha de apelar para uma ditadura bananeira, um país que mata, tortura, prende e vigia seus próprios cidadãos, para fornecer médicos para o SEU próprio povo?

A senhora é brasileira, ou não, presidente Dilma? Se não tem vergonha da medicina do seu país, tenha pelo menos do seu povo! A senhora nasceu aqui e a primeira pessoa que lhe viu foi provavelmente um médico do Brasil. Provavelmente vai ser algum colega, intensivista como sou hoje, quem vai estar ao seu lado no último momento e mesmo assim a senhora quer chamar médicos cubanos para enganar nossa gente pobre e doente a ponto de garantir sua reeleição?

Quem lhe deu esse conselho, presidente Dilma? Identifique por favor, um por um, os médicos que lhe cercam e sugeriram semelhante idéia! A senhora e eu já conhecemos alguns, não é? Vamos apresentar os demais ao Conselho Federal de Medicina, ou não?


Presidente Dilma, até bandidos e prostitutas se ofendem quando tem seu território e ganha pão ameaçados. Nós somos médicos, nós salvamos vidas e não vamos permitir que uma profissão cuja origem se perde no tempo seja levada ao fundo do poço por um partido como o da senhora com o argumento de que estamos sendo corporativistas e o Brasil está sem médicos.


Deus lhe proteja na batalha que vai enfrentar conosco, presidente. Se a senhora for ferida vai precisar ser atendida por um médico – e eu duvido muito que ele fale português.


   Porto Alegre, 2 de julho de 2013



   Milton Simon Pires 
   médico (CREMERS 20.958).

   Matéria enviada pela @LianeChammas 



6 comentários:

  1. Bela, verdadeira e pungente manifesto. A saúde no Brasil é caso de intervenção. Dilma levou o protesto dos médicos contra a vinda de médicos estrangeiros como guerra pessoal, uma atitude inadmissível para uma chefe de Estado. A reação do PT foi ainda mais infantil do que a reação, exagerada, é verdade, de alguns médicos com a chegada dos enviados de Cuba.

    Criar uma queda de braço com um dos segmentos mais importantes deste país, os médicos, que guardam e salvam vidas, é imperdoável. Há, sim, uma crise grave na saúde, com médicos despreparados, mal formados, planos de saúde que prestam péssimos serviços e, pior, a saúde pública em situação de terra arrasada.

    O PT é arrogante, sempre foi intransigente, mal negociador. Agora, vemos o resultado de tal truculência: um índice de rejeição cada vez maior. Dilma está promovendo a sua remota reeleição a toque de caixa. Todos os projetos do PT estão dando água: as cotas sofrem com fraudes feitas, que ironia, por brancos; o ProUni dando dinheiro para faculdades de fundo de quintal, como a Gama Filho, que fecham, deixando estudantes e professores em situação de desespero; Minha Casa Minha Vida sendo desacreditada graças a impasses burocráticos; o Bolsa Família é exceção porque a desigualdade, que o PT não diminuiu, da fato, continua firme e forte. Este projeto dos Mais Médicos faz com que uma classe importante seja desacreditada. E a saúde continua na UTI, sem previsão de alta.

    Os pacotes do PT vem tendo o mesmo efeito das caixas bombas, aquelas que explodem, causando estragos irreversíveis... O PT pode perder porque subestimou a autoestima do brasileiro. Não queremos projetos, queremos uma visão de futuro que se faz com investimento em capital humano, o maior patrimônio de um país. Os médicos e seus pacientes estão abandonados. O PT está hoje, na base do soro - e pode cair em breve...

    ResponderExcluir
  2. Pior é que nada vai mudar;somos já filiais de Cuba,Venezuela etc. e nada vai mudar se não voltarem as urnas tradicionais,enquanto vigirem as malfadadas URNAS ELETRONICAS.Não se iludam,brasileiros e brasileiras.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom! Só um pequeno erro: ela vai ser atendida por um médico que fala português, certamente no Sirio Libanês, ou por um que não fala, mas não será cubano, será um imperialista americano em Cleveland.

    ResponderExcluir
  4. Meu caro senhor Doutor, grato pelas suas palavras, mas isso só comprova o que penso. O mais médicos é apenas uma campanha de marketing que idealizaram para dar dinheiro à Cuba, afinal o país é incapaz de sobreviver sem que outro país o sustente e devemos respeitar Fidel nesse sentido, sou bem jogar muito bem com a URSS, para ter o açúcar como superfaturado para ter dinheiro no país. Com a queda da URSS, sobrou para a América Latina fazer as vezes do Bolsa País, e assim a Venezuela manda petróleo subsidiado para Fidel revender com muito lucro no mercado, o Brasil lhe constrói porto para poder ter um intercâmbio com o Panamá e lhe sobrar benefícios com isso, o mais édico não foge à regra, já que, creio, 90% do salário fica em Cuba e o restolho é lhes dado para sobreviver aqui. Quanto a concorrência dos cubanos, não vejo mal algum se fossem capacitados, parece que não é bem o caso. Agora espero que o senhor que gastou um bom tempo detalhando isso, LEMBRE-SE QUE PRECISAMOS DE HOSPITAIS PARA ATENDIMENTO DE PACIENTES E QUE UMA CONSULTA COM UM MERO CLINICO GERAL NÃO DEMORE MAIS QUE UMA SEMANA E ONDE COM UM ESPECIALIZADO NÃO POSSA CHEGAR A UM MÊS, APESAR DA CARÊNCIA DE AFETO DA POPULAÇÃO QUE SUBSTITUI O MÉDICO PELO CARINHO QUE NECESSITA, HÁ TAMBÉM UMA NECESSIDADE AMPLA E CULTURA DE EDUCAÇÃO, MAS VISANDO APRIMORAR TANTO O INTELECTO COMO O ESPÍRITO, PARA QUE NÃO SE TENHA O ESTADO ATUAL DE INOPERÂNCIA E INCOMPETÊNCIA PERPETUADO ATÉ QUE SE ELEJA UM SALVADOR DA PÁTRIA COMO O LULLA NOVAMENTE. Por favor lute por isso, pela melhoria na sua área e que a população possa ser atendida e respeitada, mesmo dentro da sua ignorância.
    E compartilho da sua dor do menosprezo da presidanta em eleger os cubanos como os melhores médicos do mundo.Afinal creio que o "hospital das clínicas", que nunca ouvi falar, de lá deve ser muito melhor que o das Clínicas daqui e do instituto do coração.

    ResponderExcluir
  5. O mais médico é um programa realmente oportunista para os cubanos pagar o financiamento do porto e outra coisas mais.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.